Você ainda não adicionou produto

Nenhum produto no carrinho.

Subtotal: R$ 0,00
 

Atendimento:

(61) 3323-5772

Site Seguro!

100% seguro

Criação de coleiro e outros pássaros

Considerado um dos pássaros mais conhecidos e criados no Brasil, o Sporophila caerulescens é usualmente chamado de coleiro, pois seu nome, traduzido da nomenclatura científica, refere-se ao seu tipo de alimentação: sementes. Esse tipo de ave é característico de quase todas as regiões do país, com exceção da Amazônia e do Nordeste.

 

Para criá-lo, alguns principais cuidados são, em geral, parecidos com os de outros pássaros nativos. Nesse sentido, é necessário realizar alguns procedimentos legais. Por exemplo, é preciso que se tenha registro junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Inicialmente, o processo pode ser feito pelo site desse órgão, por meio de um cadastro no sistema Gestão de Criadores de Passeriformes Silvestres (Sispass).

 

Além de obter a licença, é importante que se sigam as regras do Ibama. Entre elas, está a renovação anual da licença; e, para realizar exposições ou torneio, é preciso enviar um calendário de atividades até o último dia de outubro do exercício anterior. Essas e outras informações são encontradas na Instrução Normativa nº 15/2010 e no Manual de Utilização do SISPASS, disponíveis no site do Ibama.

 

Principais cuidados

 

O coleiro pode ser criado tanto em gaiolas como em viveiros. Porém, para esses últimos locais ,pode ser mais difícil o cuidado com os ovos e os filhotes. De qualquer maneira, é recomendado que o local seja iluminado, de preferência com luz natural matutina, que seja protegido de correntes de ar, pois não deve haver variações de temperatura diurna e noturna.

 

Com relação à alimentação, como o próprio nome científico significa, esses pássaros preferem sementes. Os principais grãos recomendados são alpiste, painço amarelo, senha, níger, sendo que a maior quantidade deve ser do primeiro tipo. Ainda é possível disponibilizar misturas de farinha de ostra, que são fontes de cálcio. Outra recomendação é dar polivitamínicos e complexo de aminoácidos algumas vezes por semana. Ressalta-se que no período de reprodução, à alimentação das fêmeas deve ser dada uma atenção especial. Nesse momento, costumam ingerir larvas, apesar de, normalmente, esse tipo de alimento não fazer parte da dieta dos coleiros. As larvas são grande fonte de proteína e auxiliam no rápido desenvolvimento dos ninhegos.

 

O melhor período para reprodução do coleiro é durante novembro a abril/maio. Para uma melhor reprodução, as fêmeas devem ser transferidas para gaiolas individuais, pois a presença de muitos machos pode dificultar ou atrapalhar esse processo. Também é ideal que fiquem afastadas de outras fêmeas, visto poderem matar os filhotes ou interromper o momento de chocar. Por fim, para aqueles que estiverem iniciando sua criação de coleiro, sugere-se que busquem um profissional especializado e conheçam outros criadouros, pois poderão obter informações específicas sobre esse tipo de ave.

Fabricantes Destaques: